FENEEQ: uma história de lutas e conquistas

Em 1925 foi implantado, em São Paulo, o primeiro curso de graduação em Engenharia Química no Brasil. 66 anos depois, Belo Horizonte tornou-se palco do 1º Congresso Nacional dos Estudantes de Engenharia Química (CONEEQ). Para dar continuidade ao crescimento da Engenharia Química foi criado, em 1995, a Federação Nacional de Estudantes de Engenharia Química (FENEEQ).  “Desde então, a federação vem se consolidado e contribuindo para o desenvolvimento dos estudantes de engenharia química, promovendo networking, integração e troca de experiências entre os mais diversos alunos de todo o território nacional”, diz o presidente da FENEEQ, Gustavo Henrique Araújo da Cruz Molina, o novo entrevistado da Innovo Engenharia.

Quando nasceu a Federação Nacional de Estudantes de Engenharia Química e qual o seu objetivo?

Molina: A FENEEQ é uma sociedade civil filiada à Associação Latino-Americana de Estudantes de Engenharia Química (ALEIQ), de utilidade pública, sem fins lucrativos, sem filiação político-partidária, autônoma, livre de qualquer compromisso com facções políticas ou ideológicas, livre e independente dos órgãos públicos e governamentais. A entidade representa nacionalmente os estudantes dos cursos e faculdades de Engenharia Química e tem como função criar, fortalecer e manter ativos os vínculos existentes entre estudantes, universidades e indústrias relacionadas com a engenharia química.

Como a entidade se articula nos diversos estados do Brasil?

Molina: A gestão 2015 da FENEEQ é composta por uma Executiva Nacional, representada pelo Presidente, Gustavo Molina (UFRN, Rio Grande do Norte); por uma Vice-Presidente, Ana Maria Gomes (UFPR do Paraná); um Secretário Geral, Stael Borges Campos (UFTM, Minas Gerais); além do Diretor de Marketing, Vladimir dos Santos Santana (UFBA, Bahia); do Diretor de Finanças, Arnaldo Carlos Lucas (UFRRJ) e do Diretor Acadêmico, Ramon Gouvea de Paula (UFPR – PR). Contamos ainda com a representação Regional Norte/Nordeste e Sul/Sudeste.

Os demais estados possuem representantes que compõem os delegados da federação. Para promover o contato entre as diversas universidades do país, fornecemos os congressos regionais (COREEQ’s) e nacionais (CONEEQ’s) sendo realizados anualmente de forma itinerante. Ademais, a FENEEQ sempre tenta se fazer presente nos estados, seja nas Semanas de Engenharia Química ou promovendo os Encontros das Entidades Estudantis da EQ (E4Q)

Como os estudantes interessados podem se filiar?

Molina: Todos os estudantes de Engenharia Química são filiados automaticamente a Federação, e todas as entidades da EQ são signatárias do nosso estatuto.

A FENEEQ é a grande porta-voz dos estudantes, fazendo com que seus anseios sejam atingidos, resolvendo as dificuldades geradas nas universidades e fazendo o verdadeiro trabalho de base da EQ, conjuntamente com os Diretórios, Centros Acadêmicos, Grêmios, Atléticas, Empresas Júniores e os Delegados, para promovermos a Representação Estudantil da EQ. Para que tenhamos os dados de todos os estudantes que desejam receber informes ou participar dos nossos eventos, basta se cadastrar no site www.feneeq.com

Quais foram as conquistas já alcançadas pela federação desde a sua criação?

Molina: Hoje temos dois congressos com marcas registradas e consolidadas. Somos pessoa jurídica e temos representação nos conselhos da Associação Brasileira de EQ (ABEQ), suplência no CREA, integração com as demais executivas de curso para à defesa de pautas comuns com a participação no Fórum Nacional das Executivas de curso (FENEX).

A FENEEQ no ano de 2015 começou um grande trabalho visando a luta contra opressão, combate aos cortes na educação e demais projetos que correm no congresso nacional, sendo um fórum de debates constantes para discutirmos o que a EQ deseja representar nacionalmente, sendo a VOZ dos seus estudantes. Agora a FENEEQ está auxiliando na área de ensino nas mudanças dos Programas Pedagógicos de Curso (PPC’s), programas de estágios de alguns CA’s e DA’s que nos procuraram e cada vez mais tornar sólido a representação estudantil da EQ.

Gostaria de acrescentar mais alguma coisa?

Molina: Gostaria de conclamar à todos e todas para construírem a Engenharia Química e o Brasil que queremos. Para que isso se satisfaça com plenitude, líderes estudantis, Centros Acadêmicos, PETianos, Empresários Juniores, bolsistas de IC, programas de extensão, EPEQ, mobilizem os estudantes de sua universidade, desenvolvam projetos interessantes, conheçam outras universidades de outras regiões do país, façam o mais importante que se pode fazer durante a universidade: networking.

Um abraço a todos os estudantes do Brasil. Seremos nós que construiremos um país melhor, mais justo e mais coerente. Sou eu, você, nós somos os agentes de modificação do estado.

Sempre fizemos uma Engenharia Química feliz, unida e pra frente. Agora, mais do que nunca, independente de Norte, Sul, Nordeste, Sudeste, Centro-oeste, representamos mais que uma classe, mais que um curso, representamos um estado de espirito. Somos #FamíliaEQ!

Comments

comments

Posted by Joseane Rosa

This article has 1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *